Empresa não pode fazer alteração societária após homologação em licitação

Empresa não pode fazer alteração societária após homologação em licitação

Recentemente, o Superior Tribunal de Justiça decidiu que empresas habilitadas em licitação devem informar ao poder público qualquer alteração na composição societária e no objeto social. A  decisão proferida, no Mandado de Segurança 21.539, suspendeu em caráter liminar a execução do Contrato de Permissão entre a União e a empresa S.R.S Comunicações para explorar serviços de radidifusão comercial para diversas cidades do Estado de Santa Catarina.

A impetrante, classificada em segundo lugar, informou que após a habilitação da concorrência a empresa vencedora – SRS Comunicações Ltda. – alterou sua denominação, o seu objeto social e seu quadro societário e passou a designar-se SRS Indústria e Comércio de Calçados Ltda.

A ministra Laurita Vaz reconheceu que as alterações na composição societária e objeto social descumpriram  o artigo 38, da Lei 4.117/62, que instituiu o Código Brasileiro de Telecomunicações, vigente à época da licitação. O dispositivo, expressamente, determinava que nas permissões para explorar serviços de radiodifusão “a alteração dos objetivos sociais, a modificação do quadro diretivo, a alteração do controle societário das empresas e a transferência de concessão, da permissão ou da autorização dependem, para sua validade, de prévia anuência do órgão competente do Poder Executivo”.Recentemente, o Superior Tribunal de Justiça decidiu que empresas habilitadas em licitação devem informar ao poder público qualquer alteração na composição societária e no objeto social. A  decisão proferida, no Mandado de Segurança 21.539, suspendeu em caráter liminar a execução do Contrato de Permissão entre a União e a empresa S.R.S Comunicações para explorar serviços de radidifusão comercial para diversas cidades do Estado de Santa Catarina.

A impetrante, classificada em segundo lugar, informou que após a habilitação da concorrência a empresa vencedora – SRS Comunicações Ltda. – alterou sua denominação, o seu objeto social e seu quadro societário e passou a designar-se SRS Indústria e Comércio de Calçados Ltda.

A ministra Laurita Vaz reconheceu que as alterações na composição societária e objeto social descumpriram  o artigo 38, da Lei 4.117/62, que instituiu o Código Brasileiro de Telecomunicações, vigente à época da licitação. O dispositivo, expressamente, determinava que nas permissões para explorar serviços de radiodifusão “a alteração dos objetivos sociais, a modificação do quadro diretivo, a alteração do controle societário das empresas e a transferência de concessão, da permissão ou da autorização dependem, para sua validade, de prévia anuência do órgão competente do Poder Executivo”.

Outras Notícias

As ilegalidades contidas na Súmula 450 do Tribunal Superior do Trabalho
Advogados especializados criticam mudanças da nova Lei de Falências
Edital RFB de Transação por Adesão nº 1, DE 2020
Fique Sempre Por dentro
Cadastre-se na nossa newsletter
powered by Logo