STF julgará se é constitucional a trava de 30% para aproveitamento dos prejuízos fiscais

STF julgará se é constitucional a trava de 30% para aproveitamento dos prejuízos fiscais

No dia 29/05/2019 o Supremo Tribunal Federal deverá julgar o Recurso Extraordinário 591.340, decidindo se é constitucional ou não a limitação de 30% por ano calendário para aproveitamento de prejuízos fiscais na apuração do IRPJ e da CSLL.

Os artigos 42 e 58, da Lei nº 8.981/95 e, posteriormente, os artigos 15 e 16, da Lei nº 9.065/95, permitem que os Contribuintes que tenham prejuízos possam compensá-los, nos anos subsequentes, na apuração dos impostos citados, desde que observada a limitação de 30% do lucro líquido ajustado. É a chamada “trava dos 30%”.

Em 2009, no julgamento do Recurso Extraordinário 344.994/PR, a Corte decidiu que a limitação era constitucional. O entendimento vinculou apenas as partes daquele recurso e a discussão estava limitada à trava para a apuração do IRPJ e ao critério temporal de aplicação das Leis de 1995, considerando os princípios da irretroatividade e da anterioridade.

No novo julgamento, uma vez que reconhecida a repercussão geral, o entendimento será estendido a todos os processos que tratam do assunto. Além disso, a Corte tem uma composição diferente e enfrentará a questão sob outros fundamentos, quais sejam, a ofensa aos conceitos de renda e lucro, e aos princípios da capacidade contributiva, universalidade, isonomia e vedação ao confisco.

Vale comentar que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) pediu o ingresso nos autos como amicus curiae, postulando que, caso não se declare a inconstitucionalidade da trava, se reconheça que ela não se aplica aos casos de extinção das pessoas jurídicas.

Desse modo, as empresas que possuem prejuízos fiscais poderão se beneficiar caso o julgamento seja pela inconstitucionalidade da trava dos 30% na compensação de prejuízos fiscais para apuração do IRPJ e da CSLL. 

Outras Notícias

Advogados especializados criticam mudanças da nova Lei de Falências
Edital RFB de Transação por Adesão nº 1, DE 2020
Advogados analisam mudanças aprovadas na Lei de Falências
Fique Sempre Por dentro
Cadastre-se na nossa newsletter
powered by Logo