Débitos Tributários: Quitação à vista dos saldos remanescentes dos parcelamentos das pessoas jurídicas

Débitos Tributários: Quitação à vista dos saldos remanescentes dos parcelamentos das pessoas jurídicas

Foi publicada na última sexta-feira (22/08/2014) a Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15/2014, que regulamenta o artigo 33 da MP nº 651/2014 quanto ao pagamento à vista dos saldos remanescentes dos parcelamentos ativos de pessoas jurídicas relativos a débitos federais vencidos até o dia 31 de dezembro de 2013.

O pagamento à vista – que será considerado como “quitação antecipada” dos parcelamentos – poderá ser feito até o dia 28 de novembro de 2014, pela utilização de 25% do saldo de prejuízo fiscal e de 9% do saldo da "base de cálculo negativa da CSLL apurados até 31/12/2013 e declarados até 31/06/2014, sendo que não serão considerados aqueles decorrentes de retificação após essa data; e mediante espécie, no valor residual após utilização dos saldos mencionados, limitado ao valor mínimo de 30% do saldo devedor dos parcelamentos, recolhido através de DARF.

Para formalização e deferimento da quitação antecipada, os contribuintes deverão apresentar eletronicamente o formulário “Requerimento de Quitação Antecipada”, juntando o DARF recolhido e os documentos que comprovem os saldos de prejuízo fiscal e base de cálculo negativa de CSLL na forma acima, que terão o efeito de suspender a cobrança das parcelas vincendas dos parcelamentos e, ainda, proporcionarão a emissão da Certidão Positiva com Efeitos de Negativa, até que seja deferida a quitação antecipada, a partir da qual os bens dados em garantias de processos administrativos (arrolamento) ou judiciais (penhora) poderão ser liberados.

Cumpre destacar que a mencionada portaria possui três pontos passíveis de discussão, quais sejam a) a limitação da utilização dos saldos de prejuízo fiscal e de base negativa da CSLL aos percentuais de 25% e 9%, respectivamente, que não é prevista no texto da MP 651; b) a impossibilidade de utilização desses mesmos saldos quando provenientes de declaração retificadora transmitida após 31/06/2014; e c) a necessidade de quitação prévia da entrada (5 parcelas até novembro/2014) do parcelamento instituído pelo artigo 34 da MP 651 (“REFIS da Copa”), como condição para o deferimento da quitação antecipada de que trata essa Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 15/2014.

O Diamantino Advogados Associados possui uma equipe especializada para auxiliá-los na condução desse assunto.

Outras Notícias

As ilegalidades contidas na Súmula 450 do Tribunal Superior do Trabalho
Advogados especializados criticam mudanças da nova Lei de Falências
Edital RFB de Transação por Adesão nº 1, DE 2020
Fique Sempre Por dentro
Cadastre-se na nossa newsletter
powered by Logo