MP 651 permite uso integral do prejuízo fiscal e da base de cálculo negativa da CSLL para quitação de débitos

MP 651 permite uso integral do prejuízo fiscal e da base de cálculo negativa da CSLL para quitação de débitos

O artigo 33 da Medida Provisória 651, de 9 de julho de 2014, dispõe da possibilidade dos contribuintes com parcelamentos tributários, vencidos até 31/12/2013, quitarem o saldo remanescente, utilizando integralmente o prejuízo fiscal e a base de cálculo negativa da CSLL para quitar seus débitos.

Trata- se de forma de quitação à vista porque a pessoa jurídica, ao aderir o pagamento da forma supracitada, terá que efetuar o “pagamento em espécie equivalente a, no mínimo, 30% (trinta pro cento) do saldo do parcelamento.” Ou seja, do montante total devido pelo contribuinte, o mesmo deverá efetuar à vista o pagamento no mínimo de 30% e utilizar até 70% do prejuízo fiscal e da base de cálculo negativa da CSLL para efetuar o pagamento do saldo remanescente.

Desta forma, o contribuinte poderá efetuar o pagamento inclusive do valor principal utilizando o prejuízo fiscal e a base de cálculo negativa da CSLL.

Vale dizer que, no Refis, o valor do crédito utilizado é de 34% e liquida apenas multas e juros. A aplicação das alíquotas é da seguinte forma: (i) 25% sobre o montante do prejuízo fiscal; e (ii) 9% da base de cálculo negativa da CSLL.

Por fim, o prazo para adesão do contribuinte, com o valor devidamente quitado dos 30% é até 30 de novembro de 2014. E o valor a ser utilizado do prejuízo fiscal e da base de cálculo negativa da CSLL corresponderá àquele apurado até 31/12/2013 e declarados até 31/6/2014. 

Outras Notícias

Advogados especializados criticam mudanças da nova Lei de Falências
Edital RFB de Transação por Adesão nº 1, DE 2020
Advogados analisam mudanças aprovadas na Lei de Falências
Fique Sempre Por dentro
Cadastre-se na nossa newsletter
powered by Logo