Programa de Regularização de Débitos Não Tributários (PRD) – Medida Provisória nº 780/2017

Programa de Regularização de Débitos Não Tributários (PRD) – Medida Provisória nº 780/2017

Em meio ao caos institucional e político, o Governo Federal publicou, em 22/05/2017, a Medida Provisória (MP) nº 780/2017 que instituiu mais um programa de negociação de dívidas federais com a finalidade de aumentar a arrecadação e, consequentemente, atingir a meta fiscal de 2017. A expectativa de receita aos cofres públicos com o novo programa é de R$ 3 bilhões de reais.

A MP criou o Programa de Regularização de Débitos não Tributários (PRD) junto às autarquias e fundações públicas federais, exceto àqueles vinculados ao Ministério da Educação e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

A adesão ao programa implica na inclusão da totalidade dos débitos exigíveis e os indicados pelo contribuinte, nos casos de discussão administrativa ou judicial, vencidos até 31 de março de 2017.

O PRD prevê quatro modalidades para liquidação das dívidas, que são:

I) 1ª prestação de, no mínimo, 50% da dívida consolidada e o restante (2ª prestação) com reduções de 90% dos juros e da multa de mora;

II) 1ª prestação de, no mínimo, 20% da dívida consolidada e o restante em até 59 prestações mensais com reduções de 60% dos juros e da multa de mora;

III) 1ª prestação de, no mínimo, 20% da dívida consolidada e o restante em até 119 prestações mensais com reduções de 30% dos juros e da multa de mora;

IV) 1ª prestação de, no mínimo, 20% da dívida consolidada e o restante em até 239 prestações mensais sem reduções.

Quanto ao prazo de adesão, as autarquias e fundações públicas têm 60 dias, contados da publicação da MP (22/05/2017), para regulamentar o procedimento e adequar o sistema. O contribuinte, por sua vez, a partir da regulamentação, terá o prazo de 120 dias para efetuar o requerimento ao PRD, pagar a 1ª prestação, sob pena de indeferimento do pedido, bem como cumprir as demais obrigações do programa.

O programa proporciona a regularização de débitos com diversas entidades (autarquias e fundações públicas federais), por exemplo: Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), entre outras conforme Portaria PGF nº 530/2007, atualizada pela Portaria PGF nº 866/2012.

Permanecemos à disposição para demais esclarecimentos, bem como auxiliá-los na elaboração do requerimento.

Outras Notícias

As ilegalidades contidas na Súmula 450 do Tribunal Superior do Trabalho
Advogados especializados criticam mudanças da nova Lei de Falências
Edital RFB de Transação por Adesão nº 1, DE 2020
Fique Sempre Por dentro
Cadastre-se na nossa newsletter
powered by Logo